Doenças parasitárias impactam crescimento dos bezerros e provocam pesados prejuízos à pecuária

 s parasitas impactam significativamente na vida dos bovinos, desde bezerros até adultos. Esses impactos são referentes principalmente a saúde e o ganho de peso do gado. “Os parasitas internos e externos causam atraso no crescimento do bezerro, que podem impactar negativamente no desempenho do animal pelo resto da vida. Os impactos negativos na saúde do animal no início da vida, podem impedir com que o animal expresse todo seu potencial genético e desempenho quando adulto”, resume o médico-veterinário Fernando Santos, gerente nacional de vendas de grandes animais da Syntec do Brasil.

Segundo o veterinário, os carrapatos, moscas e vermes gastrointestinais são um desafio no Brasil, pelas suas características de geolocalização. Cada um desses parasitas apresenta desafios únicos devido às suas características e comportamentos específicos. Enfrentar esses desafios requer abordagens integradas que considerem fatores geográficos, climáticos, ecológicos e comportamentais dos parasitas em questão.

Em geral, os parasitas intestinais consomem os nutrientes essenciais do trato gastrointestinal, reduzindo a eficiência na absorção desses nutrientes. Fernando Santos explica que infecções parasitárias também causam estresse nos bezerros, o que afeta seu sistema imunológico e a capacidade de enfrentar outros desafios ambientais. “A competição pelos nutrientes, lesões determinadas no trato gastrointestinal, e a menor digestibilidade proporcionada pelos pequenos danos na parede do sistema digestivo, levam a um menor aproveitamento nutricional podendo comprometer, além do desempenho, o organismo de uma maneira generalizada, incluindo o sistema imune.”

Para minimizar os impactos dos parasitas, é essencial implementar práticas de manejo integrado, incluindo boa higiene, controle de pastagens, uso estratégico de antiparasitários, correto manejo e aplicação dos produtos, como também o monitoramento dos animais. “A indústria e os médicos-veterinários são grandes aliados para o planejamento adequado de uma propriedade, de acordo com a realidade individual da fazenda.”

O protocolo de controle aos endoparasitas bovinos prioriza o uso de no início, na metade e ao final do período mais seco ou mais frio do ano, especialmente na fase de recria. “Para um excelente custo-benefício, é recomendada a utilização de endectocidas, produtos que controlam as infestações de parasitas internos e externos, porém é interessante a utilização de endoparasitas ou ectoparasitas para lidar com desafios parasitários específicos”, finaliza o veterinário.

Para auxiliar os criadores, a Syntec do Brasil disponibiliza uma completa e eficaz linha de antiparasitários, que são altamente eficazes no controle dos parasitas internos e externos do rebanho. T@urus e Synmectin são endectocidas com amplo espectro de ação, à base de Ivermectina. Indicado no controle e tratamento dos principais parasitas externos e internos do rebanho, como vermes gastrointestinais, berne e carrapatos.

CiperDuo, um ectocida de amplo espectro de ação, formulado com Butóxido de Piperonila e Cipermetrina, que auxilia no combate as moscas e carrapatos. Já o Alnor é um antiparasitário oral à base de Albendazol. É eficiente no combate e na prevenção contra as formas adultas, larvares e ovais de vermes gastrointestinais, principalmente em bezerros.

Sobre a Syntec – A Syntec é uma indústria de produtos para saúde animal 100% brasileira com 20 anos de história e foco em medicamentos e suplementos veterinários de alta complexidade. Seu portfólio é amplo, incluindo terapêuticos, especialidades, produtos para higiene e saúde, suplementos e, agora, vacinas animais. Para mais informações acesse: www.syntec.com.br


Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem