Biomédicas alertam sobre cuidados estéticos

Procedimentos de beleza crescem no Brasil e no mundo; tratamentos ajudam na autoestima, mas especialistas recomendam cautela



O mercado global de medicina estética foi avaliado em US$ 99,1 bilhões em 2021 e deve se expandir a uma taxa composta de crescimento anual de 14,5% de 2022 a 2030. A previsão de receita em 2030 é de US$ 332,1 bilhões, segundo dados da consultoria americana Grand View Research.



De acordo com a Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (ABIHPEC), o setor movimentou mais de R$ 47,5 bilhões em 2021 e tem perspectivas otimistas para os próximos anos, uma vez que o Brasil se tornou o terceiro maior mercado de estética do mundo, atrás apenas dos Estados Unidos e China.



Segundo a consultoria americana, a pandemia afetou o setor em escala global, mas com o trabalho remoto e o maior tempo nas vídeo-chamadas, os adultos prestaram mais atenção à aparência física, o que aumentou a demanda mundial por procedimentos injetáveis.



A campeã foi a toxina botulínica, conhecida como botox; uma técnica que bloqueia a musculatura das linhas indesejadas – principalmente do rosto, sem necessidade de cirurgia - e ajuda na correção de rugas, marcas de expressão, pés-de-galinha nos cantos dos olhos, aparência dos lábios e linhas verticais entre as sobrancelhas.



Estética no verão

Com o retorno ao trabalho presencial, os dias ensolarados de verão, o período de férias e viagens, a demanda por procedimentos estéticos também continua alta.



“As mulheres são as que mais procuram esses cuidados. O público masculino tem crescido ultimamente e todos querem se sentir mais bonitos nessa época do ano. Esses procedimentos também ajudam na autoestima e no bem-estar individual”, explica a biomédica e integrante da comissão de Ética e Estética do Conselho Regional de Biomedicina do Paraná 6ª Região (CRBM6), Karla Malachoski.



Expectativa x realidade

Mas para que os resultados sejam aqueles desejados, qualquer tipo de tratamento deve ser feito somente com profissionais habilitados e nunca com ‘algum conhecido’ que aprendeu a fazer há pouco tempo.



“É fundamental averiguar se a clínica ou a pessoa que irá realizar esses procedimentos têm a devida capacitação, registro profissional e experiência necessária para cada tipo de procedimento. Da mesma forma, é necessário seguir as recomendações dos especialistas, evitar a excessiva exposição solar, manter a hidratação entre outras indicações”, alerta a integrante do CRBM6.



Karla também enfatiza que é comum ouvir depoimentos de quem arriscou fazer um tratamento de beleza sem as devidas precauções. “Curiosamente, muitas pessoas vêm nos procurar quando já tiveram problemas e os resultados ficaram longe do esperado. É preciso reforçar que esses procedimentos exigem conhecimento científico e não dá para fazer de qualquer jeito, sem mais nem menos”.



Os mais procurados

De acordo com estudos da Grand View Research, os procedimentos injetáveis mais procurados depois da toxina botulínica são os preenchimentos de tecidos moles, peeling químico, depilação à laser e microdermoabrasão; também conhecida como peeling de cristal, uma esfoliação da pele feita por um aparelho, seguida da aplicação de um ácido que melhora a textura, poros abertos, manchas e acnes.



“O botox tem capacidade de tratar as rugas e linhas de expressão, combater o envelhecimento, tem efeito rápido, resultado em poucos dias e a sua durabilidade depende de alguns fatores. Apesar de ser um método simples e seguro, é importante tomar alguns cuidados para que o procedimento provoque os resultados esperados. Cada paciente tem suas particularidades, expectativas e reais indicações. No entanto, é de suma importância a atenção na escolha do especialista, independentemente de qual for a razão para o tratamento estético”, destaca a biomédica esteta e patologista clínica, Juliana Leal.



Outro procedimento que tem grande procura no Brasil envolve o preenchimento facial com ácido hialurônico, cuja finalidade é de repor volume, preencher sulcos mais profundos como olheiras, lábios, bigode chinês, maçãs do rosto, nariz, queixo, mandíbula e realçar o contorno da face.



Mas a especialista faz um alerta em relação à busca por padrões de beleza muitas vezes impossíveis de serem atingidos. “Pacientes e profissionais devem entender que exageros podem acarretar frustrações para ambos. Trabalhar dentro dos parâmetros da naturalidade gera mais satisfação tanto nos resultados, quanto nas questões de intercorrências”, completa Juliana Leal.

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem