Profissão panificador: profissionais "fermentam" o mercado e apostam na qualidade e diversificação de produtos nas vitrines

Com
mais de 2 milhões de padeiros, o País movimenta diariamente o consumo de
diferentes tipos de pães, sobretudo o francês e os artesanais orgânicos



Com uma história
milenar, a panificação faz parte de uma cadeia de alimentos indispensável na
mesa dos brasileiros, sendo o pão o principal alimento consumido no café da
manhã ou da tarde em todo o País. Mas, para que o alimento seja garantido no
dia a dia de milhares de pessoas, o trabalho de padeiros é fundamental.

Segundo dados da
Associação Brasileira da Indústria de Panificação e Confeitaria (ABIP), em
2020, aproximadamente 2,5 milhões de trabalhadores fazem parte do setor de
panificação, sendo 920 mil com empregos diretos e 1,6 milhão de profissionais
indiretos.



De acordo com o Instituto Tecnológico de Panificação e Confeitaria (ITPC), no
Brasil, os pães mais consumidos são o pão francês (34,39%), pães macios
artesanais (18,14%), pães com queijo (7,05%), pães crocantes (3,35%) e
croissants e folhados (0,99%).



“Por ano, os brasileiros consomem quase 6 milhões de toneladas de produtos
panificados e esse número tende a crescer ainda mais. Essa perspectiva vem a
partir das percepções quanto à variedade de pontos de vendas, às facilidades
que estão sendo criadas e o estímulo de produções cada vez mais inovadoras,
comprometidas e diferenciadas. Tudo para atrair novos consumidores e favorecer
o acesso deles a este mercado”, diz o Diretor de Marketing da Ocrim, Ruy
Zanardi. A empresa é detentora das marcas de farinha de trigo Mirella,
Trigolar, Ambra e Amorati.



Ainda segundo o último levantamento da ABIP, em 2021 o nicho faturou R$105,85
bilhões, um crescimento de 15,3% em relação ao ano anterior.

Atualmente, são
mais de 70 mil padarias espalhadas pelo Brasil. A estimativa é de que 41
milhões de pessoas frequentam diariamente as padarias para comprar o
tradicional pãozinho.

Consumidor mais exigente

As novas tendências desse mercado
modificaram o perfil do consumidor nos últimos anos. A busca por produtos cada
vez mais seletos e com qualidade elevada tem levado os panificadores a investir
em produtos diferenciados e com índices mais elevados de saudabilidade, que
fazem sucesso nas vitrines das padarias do Brasil.

“Uma dessas novas
características que se nota no setor, por exemplo, é o aumento da preferência
por produtos orgânicos. Isso é uma consequência direta do impacto da pandemia
de Covid-19 na vida das pessoas, pois muitas delas passaram a ter mais cuidado
com a saúde e bem-estar, principalmente por meio da alimentação", comenta
o Diretor.

Em 2021, o número
de consumidores de alimentos orgânicos no País cresceu 63%, de acordo com a
pesquisa “Panorama do consumo de orgânicos no Brasil”, desenvolvida pela
Associação de Promoção dos Orgânicos (Organis) junto à empresa Brain Inteligência
Estratégica e à iniciativa Unir Orgânicos.

O chef Gilson
Santos é um caso de profissional que seguiu o caminho dos orgânicos. Padeiro
premiado internacionalmente e proprietário da padaria A Fornada, de São Paulo
(SP), especializada em produtos artesanais dessa classificação, ele utiliza em
suas produções a marca Mirella Orgânica, do Grupo Ocrim, e conta um pouco da
sua experiência no mercado.

“Há 12 anos faço
pães com a farinha Mirella Orgânica e o sabor, a textura e a aparência são
diferenciadas e incomparáveis. Nós utilizamos 14 toneladas de farinha orgânica
por mês, produzindo, em média, 20 toneladas mensais de pão para comercialização
em lojas localizadas nos Jardins e também no Itaim, em São Paulo",
detalha.

Profissionalização na área

A capacitação de profissionais é um
dos pontos mais importantes para que o panificador siga atualizado e preparado
para atender as demandas do mercado. Visando oferecer, cada vez mais,
informação e conhecimento para os profissionais do setor de panificação, o
Grupo Ocrim realiza, periodicamente, cursos e ações voltadas a capacitar
padeiros em diferentes lugares do país.

No mês passado,
por exemplo, foi promovida, em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem
Industrial (Senai), uma semana de treinamentos de pães rústicos com fermentação
natural, a fim de capacitar equipes para oferecer produtos com cada vez mais
qualidade aos consumidores.

O curso ocorreu na
unidade de treinamento do Senai no Shopping Pátio Belém, de forma gratuita e
contou com cerca de 190 panificadores. Os participantes passaram por aulas
teóricas e práticas, ministradas pelo chef Gilson Santos.

Sobre a Ocrim

Tradição e qualidade são pilares do
Grupo Ocrim, indústria de farinha de trigo, produtos para panificação,
confeitaria e uso doméstico, além de massas, biscoitos e ração animal. Com 71
anos de história e pioneira na região Norte, detém oito marcas e é uma das
principais empresas de moagem de trigo do Brasil.

























Sólido, dinâmico e correto com o meio ambiente,
tem moinhos em São Paulo (SP), Belém (PA) e Manaus (AM), uma fábrica de massas
e biscoitos em Ananindeua (PA) e uma fábrica de ração em Manaus. A rigorosa
cadeia produtiva garante a excelência do portfólio, composto pelas farinhas
Mirella, Trigolar, Ambra e Amorati, biscoitos Trigolino e Zalppi, massas
Ricosa, Trigolino, Ambra, Amorati e rações Family Plus. http://www.ocrim.com.br/

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem