Lawtech gaúcha ajuda advogados a organizarem sua vida financeira



Atuando em todo o território nacional, a JusCash já antecipou mais de 15 milhões em honorários advocatícios


Os advogados enfrentam diversos desafios no trabalho, principalmente quando se trata de questões financeiras. Precisam lidar com processos longos e complexos, que podem levar meses ou até anos para serem concluídos. Durante esse período, precisam se manter financeiramente, mesmo com a incerteza de quando receberão seus honorários. Foi pensando nessa dificuldade que nasceu a JusCash, startup gaúcha especializada em antecipação de honorários advocatícios, que desde a sua criação, em 2020, já antecipou 15 milhões em honorários.
"Percebemos a dificuldade que o advogado tem para organizar sua vida financeira, visto que boa parte da sua renda advém dos honorários de êxito e sucumbenciais dos seus processos, que são recebidos sem previsibilidade alguma", explica Gabriel Mancuso, fundador e CEO da empresa. "Sabendo que isso era um problema que abrangia praticamente toda a classe há décadas, entendemos que era algo que merecia uma solução", relata.
Mancuso explica que durante a pesquisa de mercado realizada para desenvolver a empresa, percebeu que o crédito judicial era um ativo muito pouco explorado, poucas empresas olhavam para esse ativo percebendo valor. Mancuso notou também que nenhum dos players que atuam com títulos judiciais eram focados no advogado. "Nenhum se propunha a entender e resolver de fato as dores desse profissional e o que realmente facilita a vida dele. Por isso que desde nosso nascimento tivemos isso em mente", afirma. "O Brasil tem hoje cerca de um milhão e trezentos mil advogados, e dois terços são autônomos ou pequenos escritórios. Nosso propósito é dar ao advogado a liberdade financeira a que ele tem direito", assegura.

A antecipação de honorários é regulada pelo Artigo 286 do Código Civil, a partir de uma cessão de créditos o advogado pode ter acesso antecipado aos honorários oriundos dos seus processos. Na JusCash, a negociação entre o advogado e a empresa ocorre por meio de uma cessão de créditos, protocolada no processo, garantindo validade e segurança à transação. O advogado pode antecipar honorários contratuais, sucumbenciais e dativos de processos que já tenham valor incontroverso apresentado, bem como o valor de condenação de seu cliente, se esse também tiver interesse.
"Decidimos que operaríamos desde valores bem baixos, pois gostaríamos de atender o maior número de advogados possível, por isso o valor mínimo para antecipar um crédito é de mil reais. O processo é analisado, gratuitamente, com o uso de tecnologia e uma equipe jurídica que validam uma série de critérios para que o ativo possa ser precificado ao advogado", explica Mancuso.

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem