Com aumento de atendimentos no Pronto-Socorro, Hetrin reforça seu perfil de média complexidade

O perfil do hospital está voltado para cirurgias
eletivas e atendimento de urgência e emergência



 




Desde
o início das obras de reforma e ampliação, o Hospital Estadual de Trindade -
Walda Ferreira dos Santos (Hetrin) registrou aumento no número de pacientes no
pronto-socorro, atraídos pela infraestrutura e atendimento da unidade.
Enquanto, em novembro, o hospital recebeu cerca de 5.700 pacientes, em janeiro
deste ano o número saltou para 6.400, sendo que a maioria desses atendimentos
foram de caráter pouco urgente ou não urgente (60%). O aumento é tão
significativo que só na primeira quinzena de fevereiro o hospital registrou uma
média de 237 atendimentos diários, 46 a mais que a média do mês de novembro de
2022.



Esse
aumento tem exigido ainda mais dos profissionais atuantes no pronto-socorro,
que funciona 24 horas por dia. A equipe conta com médicos, enfermeiros,
técnicos de enfermagem, maqueiros, biomédicos e demais profissionais para levar
o melhor atendimento à população. Para os atendimentos de porta aberta, que
recebe todos os pacientes, a unidade conta com o quadro de médicos completo
atendendo simultaneamente. Antes de entrar para a consulta, todos os pacientes
passam por triagem e são classificados de acordo com o Protocolo de Manchester
para identificar a gravidade de cada caso.



Além
do atendimento de urgência e emergência, o Hetrin é uma unidade com perfil
hospitalar de assistência de baixa e média complexidade com perfil cirúrgico
eletivo, ou seja, que realiza cirurgias programadas, sem teor de urgência. A
unidade dispõe hoje de serviços de cirurgia geral, obstetrícia, urologia e
vascular, como por exemplo colecistectomia, hernioplastia, histerectomia, laqueadura,
cistotomia, prostectomia, vasectomia, tratamento cirúrgico de varizes bilateral
sem retirada de safena entre outras.



Mesmo
com todo o processo de reforma em pleno andamento, nenhum serviço oferecido
pelo Hetrin foi interrompido. A inauguração do novo Pronto-Socorro para
atendimento de urgências e emergências está prevista para
o meio deste ano.



Para
a diretora da unidade, Vânia Fernandes, o atendimento prestado continua com a
mesma qualidade, mesmo durante essa fase de reforma e ampliação. “Registramos
um aumento no número de atendimentos no pronto-socorro e estamos em pleno
funcionamento para atender a todos”, afirma ela, lembrando que, considerando o
perfil de média complexidade do Hetrin, também é possível buscar atendimento
para casos mais simples na rede básica de saúde do município.



Com
a entrega das próximas fases das obras, o Hetrin conseguirá ampliar ainda mais
seu atendimento, bem como elevar o número de leitos. Ao todo, a unidade
contará
com 149 leitos. No geral, serão seis de observação; dois de emergência; 14 de
alojamento conjunto; 20 de enfermaria para clínica cirúrgica e 20 de UTI; 90 de
clínica médica; quatro salas cirúrgicas; cinco leitos de Recuperação
Pós-Anestésicos (RPA); cinco quartos de isolamento e três quartos para parto
normal (PPP). Ou seja, o triplo de leitos que o hospital possui atualmente.



Classificação
de risco



Sempre
que um paciente chega para atendimento de urgência e emergência no Hetrin, é
protocolo passar pela triagem a fim de fazer sua classificação de acordo com a
gravidade de seu quadro clínico. Assim, as pessoas que apresentam risco de vida
são atendidas primeiro.



As
classificações são divididas por cinco cores. O método do Protocolo de
Manchester é um dos mais utilizados no mundo. O vermelho significa emergência e
o paciente deve ser atendido imediatamente, pois apresenta risco de morte; o
laranja é muito urgente, considerando que o paciente pode esperar, no máximo,
10 minutos para ser atendido, pois apesar de apresentar risco de morte, ele
está um pouco mais estável que o anterior. Na cor amarela estão os casos
urgentes, nos quais a gravidade é moderada e o tempo de espera pode ser de 50
minutos. A cor verde representa casos pouco urgentes e é indicado para
situações menos graves, sendo que paciente pode esperar até duas horas. Por
último, o indicador azul, são para casos não urgentes, classificação mais baixa
que envolve problemas simples. Assim, o paciente pode esperar até quatro horas.



Os
casos que envolvem serviços básicos, com a classificação de azul ou verde podem
ser atendidos pelas Unidades de Pronto Atendimento (UPA) do município de
Trindade e dos municípios próximos. Esses centros são os responsáveis pela
avaliação primária e inserção de pacientes graves que necessitam de atendimento
especializado no sistema de regulação.



 



Assessoria
de Comunicação do Hospital Estadual de Trindade



Isabela
Maione – isabela.maione@ecco.inf.br
 

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem